Os 5 piores filmes de Brad Pitt

Brad Pitt, o bonitão de Hollywood, nem sempre teve uma carreira sólida.

Brad Pitt, o bonitão de Hollywood, nem sempre teve uma carreira sólida. Ele tropeçou várias vezes ao longo de sua jornada e, com esta nota, queremos celebrar seus fracassos, porque, sem eles, ele não seria o grande astro que é hoje. Do meu ponto de vista, estes são os cinco piores longas-metragens do extraordinário ator que nos encanta e, muito de vez em quando, nos decepciona. É claro que você pode discordar, porque o cinema é subjetivo e no debate também nos divertimos.

5. A Mexicana (2001)
Trama: em seu último trabalho, Jerry Welbach (Brad Pitt), um "mecânico" da máfia, deve transportar uma valiosa pistola antiga chamada "a mexicana" ao outro lado da fronteira. Mas, se fizer o trabalho, sua namorada, Samantha (Julia Roberts), ameaça deixá-lo.

Por que é tão ruim: o filme prometeu muito ao reunir dois grandes astros de Hollywood na tela. No entanto, uma das maiores queixas é que nos leva a becos sem saída. Nos faz ansiar por mais romance ou, pelo menos, por mais interação entre Jerry e Samantha, que passam a maior parte da produção em lugares diferentes. O fim também trai o tom inicial, tornando a comédia inesperadamente violenta. "A Mexicana" definitivamente não é o pior filme de Pitt, mas, sem dúvida, não é um dos seus melhores.

4. Encontro Marcado (1998)
Trama: William Parrish (Anthony Hopkins) é um homem rico que sofre um infarto no seu 65º aniversário. O anjo da morte (Brad Pitt) lhe faz uma visita, mas na forma de um homem recém-falecido. Negando-se a morrer, no entanto, o sessentão chega a um acordo com a morte e ganha mais tempo para viver, enquanto Joe Black - o nome do temido personagem do loiro - descobre o que é ser um humano de verdade. E ele logo se apaixona por uma das filhas de William.

Por que é tão ruim: o filme é desnecessariamente longo e se move em um ritmo tão lento que parece que você teve que esperar uma eternidade para algo acontecer. A única coisa que o salva é a atuação natural e inteligente do grande Anthony Hopkins. Pitt, muito acanhado, não se entrega ao papel e sua atuação parece um pouco forçada. É uma produção modesta, mas não oferece nada memorável.

3. Johnny Suede (1991)
Trama: Johnny Suede tem tudo que precisa para ser o próximo astro do rock: a atitude, o topete e a guitarra, mas lhe falta um par de sapatos de camurça. Quando eles caem do céu milagrosamente, Johnny conhece duas mulheres, uma delas lhe ensina que há coisas muito mais importantes que um par de sapatos.

Por que é tão ruim: o filme tem o potencial para ser incrível, único e interessante, mas é muito chato. A atuação de Pitt é fraca, mas seus cabelos, pelo menos, ajudam a dar um pouco de vida à produção.

2. Inimigo Íntimo (1997)
Trama: Tom O'Meara (Harrison Ford), um policial honesto, oferece sua casa a Frankie McGuire (Brad Pitt), um jovem que ele acredita estar fugindo da violência na Irlanda. No entanto, Frankie na realidade é um terrorista do Exército Republicano Irlandês decidido a vingar a morte de seu pai.

Por que é tão ruim: o filme parece querer agradar a todos ao tornar Frankie McGuire, o vilão da história, um personagem tão simpático e amável que até Tom O'Meara quer salvá-lo. Desse modo, a história perde todo o suspense e deixa o público perdido. Alguns críticos e espectadores acrescentam que falta um sentido histórico, deixando os norte-americanos sem conhecer o conflito real. Ainda pior é o péssimo sotaque irlandês de Pitt, que torna a produção um pouco intolerável. 

1. Mundo Proibido (1992)
Trama: quando o mundo dos desenhos animados e a realidade se misturam, o resultado não é muito bom. Hollie Would, uma bela e sedutora personagem do desenho "Cool World" tenta vir ao mundo real e consegue seduzir seu desenhista para conseguir o que quer. Agora, caberá ao detetive Frank Harris (Brad Pitt) - um veterano da Segunda Guerra Mundial que foi transportado acidentalmente ao mundo da animação como um policial – deter a loucura.

Por que é tão ruim: este é provavelmente um dos piores filmes protagonizados por Brad Pitt. Faltam mais detalhes à mistura de animação e ação real e, por isso, a produção é pouco convincente. Os personagens foram mal desenhados e suas interações com os personagens reais não coincidem muitas vezes. E tem mais, a história carece de sentido, porque o diretor parece ligar cenas que não têm sequência.
por Jack Rico
Tags brad pitt