Oscar®: Leto contra Fassbender e Fassbender contra Leto.

O ator de Louisiana é o favorito por "Dallas Buyers Club". O alemão-irlandês brilha em "12 Years a Slave".

Tudo aponta para que no próximo dia 2 de março o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante seja de Jared Leto, por seu papel em "Dallas Buyers Club".  Esta mera especulação está baseada nos resultados das premiações anteriores. É claro que não é uma ciência exata. Existem muitas variáveis e os resultados entre o Globo de Ouro e o Oscar costumam ser diferentes. 

Em todo o circuito da premiação, Michael Fassbender enfrentou o ator de Louisiana. Edwin Epps contra Rayon. A concorrência entre eles tem sido ferrenha. Primeiro no Globo de Ouro, depois na premiação do Sindicato dos Atores (SAG), logo em seguida será a vez de se enfrentarem no Independent Spirit Awards e finalmente no Oscar.

Os demais concorrentes, apesar de suas excelentes atuações, ficaram um tanto apagados diante da sensação que a dupla de atores causou no público com suas geniais construções de personagens. Mesmo que a atuação dos dois seja impecável, as probabilidades apontam para Leto; apesar de o meu preferido ser o alemão. Não quero dizer que um é melhor do que o outro, mas que o exercício de ator de Fassbender foi bem mais complexo.

Jared encara em "Dallas Buyers Club" o papel de Rayon, um travesti com AIDS lutando para ter uma vida digna e apoiando Ron Woodroof em sua luta e busca e busca por um tratamento alternativo; diante da apatia absoluta das autoridades sanitárias e médicas, governamentais e laboratórios farmacêuticos. Mesmo tendo um tipo físico magro, o ator perdeu uns 15 quilos, que o deixou em pele e osso, com um aspecto abatido e derrotado, apagando qualquer traço de saúde. Além da transformação física, ele soube passar um leque de emoções vivenciados pelo personagem: da negação absoluta da doença ao espírito de positividade e otimismo diante da morte eminente que o rondava. 

Por outro lado, Fassbender se transformou na personificação do demônio. Edwin Epps era em "12 Years a Slave" o dono de um campo de algodão cultivado por escravos. Um homem ressentido, frustrado e submetido a um casamento falido. Todo o acúmulo de emoções derivada da sua própria frustração é convertido numa violência absoluta, desumana e incontrolável. Um homem cheio de ódio, que usava seu poder para manipular e intimidar os demais. 

Esta é a terceira vez que Fassbender é dirigido pelo diretor o Steve McQueen - que já o submeteu a qualquer tipo de emoção e sabe como tirar o melhor do ator. Também fez com que ele emagrecesse 18 quilos para o papel em "Hunger", além de colocá-lo naquele plano sequência de 16 minutos ao discutir a greve de fome como um padre.

Mesmo que as atuações dos dois tenham sido brilhantes, é importante analisar qual dos papéis era mais complexo, qual teria um mérito especial, qual tinha mais recursos e exigia mais do ator. Rayon, o personagem de Leto, é um homossexual, viciado a em drogas, travesti e infectado pelo vírus do HIV. É um personagem que exige emoções intensas e que ao mesmo tempo apresenta uma grande riqueza para a sua construção física: o caminhar, seu aspecto afeminado, impostação de voz, etc. Edwin Epps, o personagem de Fassbender, é um homem comum, pelo menos na sua comunicação corporal. Interiormente, é um homem cheio de rancor, ódio e frustração. Com apenas um olhar é capaz de intimidar e deixar qualquer um congelado de medo

Qual seria então o papel mais difícil? O que a Academia e seus membros (neste caso atores) estão vendo e julgando? Qual o parâmetro para avaliar as atuações? Vamos ver o que acontece no domingo, dia 1 de março, no Independent Spirit Awards, onde a dupla também competirá com Will Forte (Nebraska), James Gandolfini (Enough Said) e Keith Stanfield (Short Term 12). E no dia seguinte, teremos a chance de ver o resultado da categoria no Oscar, onde eles também são os favoritos e completam o quinteto de concorrentes com Bradley Cooper (American Hustle), Jonah Hill (The Wolf of Wallstreet) e Barkhad Abdi (Captain Phillips). Ambas as premiações serão transmitidas pelo TNT. 

Enfim, apesar do personagem de Fassbender ser mais transcendental, complexo, emocionante e comovente, o grande favorito é Jared Leto. Agora só nos resta aguardar para ver o que vai acontecer.
por Rafa Sarmiento
Tags oscar oscars

PUBLICIDADE